Quais são as principais doenças articulares?

Home » Articulações » Quais são as principais doenças articulares?
a

Com o avançar da idade, algumas pessoas começam a perceber uma certa dificuldade em realizar tarefas simples do dia a dia, como levantar da cama pela manhã, erguer os braços para pentear os cabelos ou se abaixar para calçar os sapatos.

Essas limitações nos movimentos, principalmente em braços e pernas, vêm acompanhadas quase sempre por rigidez e dores, sinais que podem indicar doenças articulares, trazendo muito desconforto, comprometendo atividades profissionais e prejudicando significativamente a qualidade de vida.

As doenças articulares mais comuns são artrose, artrite e tendinite. No entanto, há várias doenças que afetam articulações, tendões, cartilagens, músculos e ligamentos e que são popularmente conhecidas por reumatismo, que é o termo usado para nomear essas situações incômodas e dolorosas do aparelho locomotor, mais relacionadas às pessoas idosas, pelo desgaste natural do corpo, mas que podem acometer também crianças, jovens e adultos.

artrose é uma doença articular que geralmente afeta mais quem tem acima de 60 anos de idade, por causa do desgaste das articulações, que acontece naturalmente ao longo dos anos, acometendo a cartilagem que envolve os ossos, em especial nas suas extremidades. Os primeiros sintomas que podem levar a um diagnóstico de artrose são dores nas articulações, que levam a pessoa a ter movimentos limitados. Podem surgir também inchaço e até deformidades. Em geral, essa doença afeta principalmente as mãos, quadris, coluna e joelhos.

artrite, que muita gente confunde com a artrose, é um processo inflamatório que atinge as articulações, sendo a causa mais comum de dor nessas áreas, especialmente nas mãos. Pode surgir em indivíduos que estão muito acima do peso ou que sofreram algum traumatismo, no entanto, o mais comum é que a inflamação aconteça devido ao desgaste das articulações, à medida que a pessoa vai envelhecendo.

O surgimento de uma doença autoimune, que leva o corpo a atacar as articulações, também pode causar artrite, que, assim como a artrose, tem como sintomas dores, rigidez e dificuldade em movimentar a área do corpo afetada, inchaço, vermelhidão e, algumas vezes, deformidade. São consideradas características principais dessas duas doenças articulares degenerativas, desgastes da cartilagem e alterações nos ossos, a exemplo dos chamados bicos de papagaio e de juntas dos dedos com nódulos.

Quem realiza movimentos repetitivos arrisca ser acometido por tendinite, doença caracterizada por uma inflamação no tendão, estrutura fibrosa que faz a ligação entre os músculos e os ossos. Os sinais iniciam com dores incapacitantes, como também vermelhidão, sensação de calor e inchaço nos locais afetados, que na maioria das vezes são na região do punho, do ombro, do cotovelo, do joelho ou do tornozelo. Doenças autoimunes, estresse, sobrecargas devido a atividades físicas intensas e má postura também estão na lista de causas da tendinite.

Todos nós sabemos que devemos ter em mente a importância de levar uma vida o mais saudável possível, com alimentação equilibrada e atividades físicas regulares, como forma de prevenir doenças e ter uma velhice com mais qualidade de vida. Essas atitudes, assim como visitas regulares ao médico como forma de prevenção de problemas de saúde, também evitam problemas nas articulações.

Os suplementos alimentares são um excelente aliado para a prevenção de doenças.

Artro-MSM da ApisNutri é voltado para a manutenção e saúde da função articular, tendo como um dos componentes o colágeno tipo II. Conhecido como colágeno não hidrolisado, é fundamental na formação de cartilagens, principalmente as que revestem as extremidades dos ossos.

Já o metilsulfonilmetano (MSM) é uma substância que possui átomos de enxofre em sua composição, que ajuda na formação da elastina e da condroitina, favorecendo a recuperação articular.

Por Denise Vilar

Últimas postagens

Artigos

Cadastre-se em nossa Newsletter

Encontre os melhores produtos em nossa loja virtual

Gostou do nosso post? Compartilhe em suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Telegram
Email
Print